Outgoing Estudantes - Estudos

Caminho para o mundo.

​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​​
Para aceder ao programa de mobilidade, o estudante tem de estar matriculado no ISMAI, de forma a assegurar a sua condição de estudante durante o período da mobilidade.

 
Sara Silva
Outgoing estudos
Foi uma experiência bastante enriquecedora e inesquecível. Ajudou-me bastante a crescer enquanto pessoa. Tive oportunidade de ter cadeiras que nunca ia ter em Portugal e que são muito úteis para o curso. - Ver testemunho completo
Vagas Mobilidade 2017/2018

Candidaturas Estudantes Outgoing

O estudante interessado em candidatar-se ao Programa de Mobilidade, deverá, dentro dos prazos previamente estipulados, facultar ao Gabinete de Relações Internacionais do ISMAI a seguinte documentação:

 
  • Formulário devidamente preenchido;
  • Certificado de Frequência, a solicitar na Secretaria.​

 

Mobilidade

Os acordos de cooperação institucional incluem cerca de 150 instituições de ensino superior de 30 países,sendo 25 países participantes no programa Erasmus+.

Saber mais

O que tenho de saber

A candidatura deve ser efetuada presencialmente no GRI.

Os prazos de candidatura e vagas disponíveis para os estudantes de cada curso lecionado no ISMAI, assim como a restante informação relativa ao Programa, são publicados no portal do ISMAI e no painel informativo do GRI.

A seriação dos candidatos é realizada com base nos seguintes critérios:

  • Comprovação da realização do mínimo de 30 créditos ECTS;
  • Número de créditos ECTS realizados até ao momento da seriação;
  • Classificação média obtida por cada aluno no momento da candidatura;
  • Idade do candidato (discriminação positiva dos mais velhos).

No momento em que se candidata ao Programa Erasmus+, o estudante candidata-se simultaneamente a uma bolsa de mobilidade.

Em 2016/2017, foram fixados os seguintes valores:

Grupo 1- Países do Programa com custo de vida elevado
Áustria, Dinamarca, Finlândia, França, Irlanda, Itália, Liechtenstein, Noruega, Suécia, Reino Unido
Valor da Bolsa  Mensal para ESTUDOS 300€

Grupo 2 - Países do Programa com custo de vida médio
Bélgica, Croácia, República Checa, Chipre, Alemanha, Grécia, Islândia, Luxemburgo, Holanda, Eslovénia, Espanha, Turquia
Valor da Bolsa  Mensal para ESTUDOS 250€

Grupo 3 - Países do Programa com custo de vida mais barato
Bulgária, Estónia, Hungria, Letónia, Lituânia, Malta, Polónia, Roménia, Eslováquia, Antiga República Jugoslava da Macedónia
Valor da Bolsa  Mensal para ESTUDOS 200€

O montante da bolsa de mobilidade varia consoante o país de destino e pretende fa­zer face à diferença de custo de vida entre o país de origem e o de acolhimento, não cobrindo, por isso, a totalidade das despe­sas do estudante.

Os estudantes com dificuldades socioeconómicas beneficiam ainda de uma bol­sa complementar de 100,00€ ou 150,00€/mês*, consoante o escalão. Esta bolsa é calculada e atribuída pela Direção Geral de Ensino Superior.

*Nota: Em vigor para o ano letivo 2016/2017

Os estudantes do ISMAI em mobilidade estão isentos do pagamento de propinas na Instituição de Aco­lhimento.

A MAIÊUTICA, entidade instituidora do ISMAI, apoia a mobilidade dos seus estudantes com a redução no valor das propinas no período de mobilidade, conforme se segue:

Mobilidade Erasmus+

1 semestre para estudantes inscritos no 1.º ciclo de estudos (licenciatura) 30%

1 ano letivo para estudantes inscritos no 1.º ciclo de estudos (licenciatura) 15%

1 semestre para estudantes inscritos no 2.º ciclo de estudos (mestrado) 10%

1 ano letivo para estudantes inscritos no 2.º ciclo de estudos (mestrado) 5%

Nota: Os descontos indicados vigoram no ano letivo 2016/2017 podendo sofrer alterações posteriormente

Intercâmbio

1 semestre para estudantes inscritos no 1.º ciclo de estudos (licenciatura) 10%

1 ano letivo para estudantes inscritos no 1.º ciclo de estudos (licenciatura) 10%

1 semestre para estudantes inscritos no 2.º ciclo de estudos (mestrado) 5%

1 ano letivo para estudantes inscritos no 2.º ciclo de estudos (mestrado) 5%

Nota: Os descontos indicados vigoram no ano letivo 2016/2017 podendo sofrer alterações posteriormente

O ISMAI celebrou acordos de intercâmbio com diversas universidades de países não participantes no Programa ERASMUS+, maioritariamente no Brasil.

Os estudantes ao abrigo destes protocolos de cooperação não beneficiam de bolsa de mobilidade.

Os estudantes terão um Plano de Estudos pré-definido antes da partida, podendo ser ajustado aquan­do da chegada à Instituição de Acolhimento, de acordo com os regulamentos em vigor. Não existe a possibilidade de fazer a avaliação por ECTS, tendo o plano de estudos de ser realizado através da correspondência direta de unidade curricular a unidade curricular

Antes da partida é elaborado um plano de estudos, designado de Learning Agreement for Studies, onde constam os dados pessoais do participante, os dados da Instituição de Origem e da Instituição de Aco­lhimento, a lista de unidades curriculares a frequentar na Instituição de Acolhimento, a lista de unidades curriculares do plano de estudos do ISMAI que o estudante não realiza na Instituição de Origem e as com­petências linguísticas necessárias à realização da mobilidade.

Caso o Learning Agreement inicial necessite de ser alterado, o estudante tem de informar o GRI e obter a sua autorização bem como a do respetivo Coordenador de Curso para a modificação do plano. O estu­dante tem também de preencher um formulário próprio, designado de Changes to the Original Learning Agreement, que deverá ser enviado para autenticação ao GRI do ISMAI, depois de devidamente assinado pelo estudante e pela Instituição de Acolhimento.

O reconhecimento académico no âmbito da mobilidade ERASMUS+ baseia-se na aplicação do Sistema Europeu de Transferência e Acumulação de Créditos ECTS, segundo o qual a Instituição de Origem certi­fica que os resultados de aprendizagem obtidos e avaliados na Instituição de Acolhimento substituem os resultados da Instituição de Origem.

Assim, os créditos ECTS obtidos em mobilidade são transpostos para o plano de estudos do ISMAI, desde que tenham sido previamente aprovados pelo respetivo Coordenador de Curso e que tenham sido cum­pridos todos os procedimentos de acordo com os regulamentos de mobilidade em vigor no ISMAI.

Todos os participantes na mobilidade ERASMUS+ beneficiarão de um apoio linguístico on-line, desde que a mobilidade seja superior a dois meses. Esta ferramenta, a desenvolver ao longo da implementação do Programa, permitirá avaliar o nível de conhecimento da língua estrangeira antes e depois da mobilidade, proporcionando ao estudante a frequência de um curso on-line, conforme definido no Learning / Training Agreement.

A maioria das Universidades tem residências uni­versitárias, onde o estudante em mobilidade po­derá ficar hospedado. No entanto, existe sempre a possibilidade de alugar um quarto, dividindo, assim, um apartamento/casa com outros estudan­tes. O estudante escolherá a opção que conside­rar mais adequada.

O ISMAI não é responsável pelo alojamento dos estudantes em mobilidade mas, sempre que pos­sível, faculta contactos de colegas oriundos da Universidade em questão ou de portugueses que tenham vivido anteriormente a experiência na mesma cidade. O contacto com o GRI da Ins­tituição de Acolhimento ou a realização de uma pesquisa no sítio da mesma ou da Embaixada/Consulado pode, igualmente, resultar na disponi­bilização de contactos para alojamento.

Recomenda-se que o estudante trate da questão do alojamento antes da partida em mobilidade.

A organização da viagem é da responsabilidade do estudante ainda que o GRI esteja sempre dis­ponível para o ajudar.

Antes da partida, o estudante tem de subscrever uma apólice de seguro de acidentes pessoais, vá­lida no estrangeiro e durante o período da mobi­lidade.

Anualmente, o ISMAI propõe a todos os partici­pantes a subscrição de uma apólice de grupo, no entanto o estudante poderá contratualizar essa apólice individualmente.

O estudante não pode, em caso algum, partir em mobilidade sem seguro de mobilidade válido

Antes da partida, o aluno deverá reunir alguns do­cumentos imprescindíveis à sua estadia no país de acolhimento:

  • Bilhete de Identidade ou Cartão de Cidadão;
  • Número de Identificação Fiscal ou Cartão de Cidadão;
  • Passaporte (obrigatório para países não inte­grados na União Europeia);
  • Cartão Europeu de Seguro de Doença*;
  • Fotografias tipo-passe;
  • Declaração de Aceitação (Letter of Acceptan­ce) no Programa de Mobilidade (a solicitar no GRI);
  • Learning Agreement assinado.

*Sem validade na Turquia, pelo que é imprescindível a subs­crição de um seguro de saúde com cobertura no país de aco­lhimento.

À chegada à Instituição de Acolhimento o estu­dante deve apresentar-se no Gabinete de Rela­ções Internacionais da mesma, solicitando o ca­rimbo e assinatura do comprovativo de chegada (arrival form).

Antes do final da mobilidade o estudante deve re­petir o procedimento para obtenção do compro­vativo de partida.

Este documento oficializa o início e o fim do seu período de estudos, sendo imprescindível para comprovação do período de mobilidade.

O documento que comprova o aproveitamento académico do estudante na Instituição de Acolhimento designa-se de Transcript of Records, o qual é emitido pela Instituição de Acolhimento e enviado ao ISMAI.

Este documento é imprescindível para o reconhecimento académico do plano de estudos realizado na Instituição de Acolhimento, sendo que as classificações obtidas em mobilidade serão creditadas no plano de estudos do ISMAI, depois de devidamente aprovadas por todas as partes competentes.

A ausência de aproveitamento (aprovação a, pelo menos, uma unidade curricular) implica a devolução integral do valor da bolsa de mobilidade recebida.

Frequentemente, o participante realiza formação extracurricular durante o período de mobilidade, como por exemplo cursos de língua estrangeira, participação em conferências e workshops com avaliação, estágios, entre outras.

Mediante solicitação junto da Secretaria do ISMAI, a formação extracurricular poderá ser incluída no Suplemento ao Diploma, de acordo com as normas em vigor, não podendo, no entanto, ser incluída no âmbito do Learning Agreement.